• Joana Bicalho

Assessoria de comunicação em redes sociais

Em tempos onde as redes sociais assumem protagonismo em nossas vidas e se transformam em meios de comunicação de grande alcance, necessário se faz compreender o comportamento de comsuno desta mídia, bem como os tipos de infoprodutos existentes que devem ser utilizados pela assessoria de comunicação.



Tendo em vista a velocidade, o alcance e a praticidade no uso das redes sociais, novas demandas chegam às assessorias de comunicação que passam por reformulação em termos de organograma, processos e procedimentos.


Amplia-se assim os estudos em termos de persona, de jornada de mídia do consumidor ou cidadão, e ainda de estratégias e adequação de infoprodutos para cada uma das redes sociais. Ou seja: não se deve apenas replicar as mesmas mensagens nas diferentes redes, visto que cada uma possui uma linha editorial específica.


A nova Assessoria de Comunicação, nas organizações


Para aqueles que não são da área, é importante saber: assessoria de comunicação é diferente da assessoria de imprensa. A assessoria de comunicação deve incluir todas as áreas da comunicação, sendo formada por publicitários, profissionais do marketing, jornalistas e profissionais de relações públicas.


O assessor de comunicação tem função tática, e faz a ponte entre a estratégia e a operação. Também é responsável por acessar junto ao nível diretivo o objetivo estratégico, viabilizando que, com a união das áreas da comunicação, conquiste o acesso ao público alvo na mídia correta, aqui, analisando-se o caso de ser nas redes sociais.


O primeiro passo é conhecer profundamente o cliente (ou cidadão desejado na comunicação segmentada) . Conhecer o produto (ou programa, projeto, serviço). Definir a tática de comunicação a partir da jornada de mídia do público-alvo, e envolver toda a equipe da assessoria (publicitários, jornalistas e profissionais de relações públicas) para planejar, com foco nos objetivos e nas expectativas de resultados.



Assessoria de Comunicação em tempos de redes sociais


Não basta estar em uma mídia social - ou seja, uma mídia que permite a sociabilização. É necessário estar em rede social, ou seja, que de fato haja o interesse do público seguidor sobre o que comunica a sua marca.


A concorrência quanto à oferta de conteúdo exige diferenciar-se, atrair o interessado na temática para, assim, gerar engajamento. É importante lembrar que, para muitos brasileiros, as redes sociais representam a principal fonte de informação e comunicação.


O primeiro passo é entender a tamanha relevância do meio para o público e, uma vez entendido, potencializar a presença online, de maneira eficaz: estar com a mensagem certa, frente ao público certo, e no momento preciso, exige compreender as técnicas de marketing digital, de remarketing e de retargeting.


Mas é importante estar atento ao fato de que cada rede social tem uma função própria e servirá para objetivos específicos a depender da estratégia. De maneira simplificada, podemos definir as funções das plataformas digitais da seguinte forma:


  • Instagram - encantar;

  • Facebook - engajar;

  • Twitter - informar/ entreter;

  • LinkedIn - gerar ganhos em network e conhecimento;

  • Tik Tok - entreter;

  • Pinterest - encantar gerando coleções da marca.


Como publicar de maneira correta no Instagram?

Logo, no Instagram a construção é feita sobretudo com o uso de vídeos envolventes (o Instagram já informou que reduzirá cada vez mais o algorítimo para cards estáticos), e que prendem a atenção e estimulam a vontade de compartilhar. Variar o uso de infoprodutos, e incluir os stickers ofertados pela ferramenta, contribuem com a ampliação do algoritimo. Não deixe de usar as opções Guia, Reels, Story, Carrossel e leve em conta o formato e as especificidades para cada uma delas. Nesta plataforma, é fundamental seduzir.


Facebook e conteúdo adequado

No Facebook o tipo de conteúdo é voltado para a interação do público, mas com natureza mais jornalísticas, com dados, fatos, informações. Utilize também os diferentes recursos da plataforma, tais como eventos, loja, grupos e outros.


Twitter gerando link building

Já no Twitter a abordagem é direta, objetiva e propõe que se use sempre links, que levem para o aprofundamento do conteúdo proposto nos seus demais veículos de comunicação (site, facebook, blogs e outros). Quanto mais conteúdo apontado para o seu site (link building), mais haverá rankeamento nas buscas google e dos demais navegadores fazendo com que suas páginas ocupem as melhores posições nas buscas.


O Linkedin deve ser usado por todas as empresas?

Ao se utilizar do LinkedIn como veículo de comunicação torna-se fundamental perceber se a entrega está de fato direcionada à rede de seguidores presente em sua conexão. Geralmente as pessoas estão sem tempo, ao acessar essa rede e, assim, o foco na temática muito importa. Qual a sua verdadeira entrega no LinkedIn? Em quê, você melhora a vida de quem está, com você, conectado? Quanto mais direcionado o público, mais fácil obter eficácia nas postagens. Assim, estude para qual stakeholder o seu LinkedIn deve estar voltado, e seja objetivo numa entrega que gere uma experiência de valor para seus seguidores.


Tik Tok, toda empresa precisa ter?

A resposta é: só crie uma rede, se de fato possui recursos para mantê-la em rede, ou seja, engajada, se relacionado a partir de infoprodutos que atraiam seu público de relacionamento. Sabe-se da linha editorial do Tik Tok, então, assim, estruture aos poucos o organograma de comunicação da sua assessoria contratando, aos poucos, colaboradores ou fornecedores que compreendem as especificidades de cada rede social. Estude antes a sua persona, ou seja, aquele perfil que representa o consumidor ideal da sua mensagem, e entenda se na jornada de mídia deste consumidor, há a plataforma Tik Tok. Em caso afirmativo, estudo seus programas, projetos e valores da marca, no sentido de compreender qual o tom de voz que pode ser utilizado nesta ferramenta que, de maneira leve e envolvente, passe a mensagem de interesse na sua comunicação estratégica.


Pinterest deve ser utilizado por empresa pública?

Esta rede social ganha cada vez mais espaço, e possui como importante ativo, a possibilidade de salvar (Pinar) coleções temáticas. Desta maneira, como você pode surpreender seu público-alvo para que queira engajar, curtir, salvar, compartilhar seu conteúdo? Pela beleza das fotos? Pela curiosidade gerada? Por significar conhecimento importante a ser salvo?

Também nesta plataforma é importante, em caso de decisão pelo uso, gerar encantamento, vontade de salvar, de guardar a mensagem. Gerar a vontade de seguir, e de ser notificado, em cada postagem realizada.


Outro ponto importante, e comum à todas as redes, diz respeito aos tipos de postagens e mídia. Entenda melhor:



Tipos de mídia em redes sociais


Existem quatro tipos de mídia em redes sociais: a espontânea, a paga, a própria e a social.

MÍDIA ESPONTÂNEA

A área de assessoria de imprensa deve bem direcionar os releases para veículos e redes sociais parceiras ou de notícias segmentadas. Estes releases precisam seguir com os infoprodutos criados, para os veículos. Se deseja, por exemplo, uma cobertura de mídia relacionado à saúde, infográficos, vídeos, áudios, testemunhais, depoimentos, e-books e outros já podem ser enviados para os veículos de comunicação, juntamente com o release. Deve-se lembrar que, com a velocidade de informações no meio internet, a demanda de cobertura é sempre enorme e, assim, uma boa solução é ofertar um release completo, que facilite o papel do jornalista na redação. Entenda melhor sobre jornalismo web e infoprodutos, aqui.

mídia espontânea é toda mídia conquistada em veículos ou canais sem que haja uma troca financeira, logo, é aquela que divulga seu produto ou serviço simplesmente por se encaixar na pauta dos veículos.


Para conquistá-la é necessário ter um bom relacionamento duradouro com estes canais/veículos, além de oferecer produtos relevantes, personalizados e únicos.



MÍDIA PAGA

Todas as redes sociais permitem o social media advertasing, ou ads. E vale a pena, pois nesta estratégia, é possível direcionar fortemente o público de interesse, canalizando a mensagem de acordo com a persona de interesse. Mas atenção: não basta apertar o botão Impulsionar. É eficaz utilizar os gerenciadores de anúncio.



MÍDIA PRÓPRIA

Essa é a mídia da própria empresa. Seu site, blog, instagram, facebook, soundcloud e tantos outros possíveis veículos próprios de comunicação. Afinal, cada vez mais as empresas possuem verdadeiros sistemas próprios de comunicação. Você assessor de comunicação, tem em mãos a oportunidade de montar uma verdadeira editoria de comunicação envolvendo diferentes meios de comunicação próprios. Canal de Tv (Youtube), de Rádio (Spotify, Sound Cloud e outros) Redes Sociais (ao menso seis), Newsletter mensal, impressos e outros. Assim, a mídia própria deve ser aprimorada de maneira contínua, e o assessor de imprensa passa a dividir lugar com o jornalista empresarial, que coordena como verdadeiro editor as tantas editorias necessárias nos diferentes veículos corporativos. Aqui é onde a sua marca mais terá chance de firmar presença, ressaltar os valores, cumprir a missão e alcançar a visão de futuro.



MÍDIA SOCIAL

É importante lembrar que, na internet, a mídia é social, ou seja pode ser sociabilizada, compartilhada, comentada, distribuída em larga escala não apenas pela marca, mas por todo o universo social em que a marca está presente. Ou seja, a marca passa a ter verdadeiros advogados defensores e promotores das ações, projetos, programas, produtos, srviços, valores, desde que considerados de excelência pela rede social à qual a marca pertence. Assim, invista em estar com o público certo, provocando engajamento, mas também engajando, dando motivos para seu público de relacionamento falar bem de você. Ou seja, estimule e empolgue sua rede, a compartilhe seu conteúdo.


É importante ressaltar que, para ser de fato efetiva a comunicação em mídia social, é necessário criar um conteúdo realmente relevante para seu público alvo, usando estratégias de engajamento. Lembrando que esse é o tipo de mídia que viabiliza a comunicação segmentada, ou seja, altamente dirigida para seu target.


Se você prcebe que seu setor ou assessoria necessita melhorar nesta performance, aproveite para fazer um dos cursos em sala de aula AO VIVO, pelo ZOOM, estando o professor presente durante todo o tempo com o aluno. E ainda, com mentoria, e templates para os projetos da sua empresa. Ou seja, no curso, você de fato já transforma as estratégias de comunicação em redes sociais da sua empresa.



A Rede®CMG possui mais de 30 cursos voltados para a área de assessoria de comunicação das empresas. Há direcionamento tanto para o nível gerencial, quanto operacional, de acordo com o curso de interesse. Todas as aulas são AO VIVO, pelo Zoom, quinzenais, e em horários que viabilizam qualidade de estudo, e de vida. Entre em contato pelo WhatsApp e matricule seus colaboradores.


Quais as suas principais dúvidas sobre a comunicação organizacional em redes sociais?

  • Escreva uma resposta

  • Escreva uma resposta


42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo